Cavaleiros de Gutenberg no Museu de Imprensa

Cavaleiros de Gutenberg no Museu de Imprensa

No passado dia 24 de fevereiro realizou-se, no Museu Nacional da Imprensa / Jornais e Artes Gráficas, a cerimónia de entronização de novos Cavaleiros de Gutenberg, uma iniciativa da Corporação Polaca desta Instituição que integra a Confraria Europeia dos Cavaleiros de Gutenberg.

Jacek Kusmierczyk, Chanceler da Corporação Polaca dos Cavaleiros de Gutenberg, realçou os ideais da Confraria Europeia dos Cavaleiros de Gutenberg de defesa de uma Europa justa e fraterna, bem como de promoção e desenvolvimento das línguas e culturas dos povos, de modo a contribuir para a divulgação da palavra impressa sobretudo entre as crianças e os jovens. De seguida, Jacek Kusmierczyk entronizou as seguintes individualidades, após uma breve apresentação biográfica: António Marquez Filipe, membro da direção da Associação das Empresas de Vinho do Porto e do Conselho Interprofissional da Região Demarcada do Douro; Aurelio Mendiguchía, Diretor Técnico do Instituto Tecnológico e Gráfico Tajamar; Augusto Monteiro da Silva, Presidente do Conselho de Administração da Grafopel – Equipamentos Gráficos, S.A.; Fernando Fontoura, Diretor-Geral da Apigraf e Advogado; João Calheiros, Gestor das empresas do grupo Calheiros, Embalagens, S.A.; João Baeta, Presidente da Direção Nacional da Apigraf e Administrador da Olegário Fernandes, Artes Gráficas, S.A.; José Rodrigues Barros, Diretor Geral e Administrador da Monteiro, Ribas – Embalagens Flexíveis, S.A.; José Maria Pereira, Sócio-Gerente e Diretor Comercial da Magcop-Porto, Lda.; Luís Humberto Marcos, Diretor do Museu Nacional da Imprensa; Paulo Nunes de Almeida, Presidente do Conselho Geral da AEP – Associação Empresarial de Portugal; e Victor Manuel Alves, Diretor Geral da empresa Mercográfica e administrador das empresas Socográfica e Mercoeditora de Angola.

O Diretor do Museu Nacional da Imprensa / Jornais e Artes Gráficas, Luís Humberto Marcos, manifestou o seu regozijo pelo facto de o Museu ser o palco desta entronização, o que passa a constituir, desde logo, um dos grandes momentos da sua ainda pequena história. Para além dos ideais da Confraria serem também os do Museu, Humberto Marcos salientou ainda o simbolismo desta Cerimónia se realizar neste espaço gutenbergiano consagrado à cultura que o patrono dos novos cavaleiros democratizou, pois foi a partir da invenção da tipografia que o livro e o conhecimento começaram a chegar a todos, sem exceção.

Jacek Kusmierczyk salientou, por último, que os novos bellatores, em conjunto com os entronizados na Cerimónia de 2014 (vd. notícia na T&G n.º 233, de junho/julho de 2014, p. 19), devem agora tomar nas suas mãos o destino da Corporação Portuguesa dos Cavaleiros de Gutenberg.

Da parte da tarde, foi realizada uma visita à empresa Monteiro, Ribas – Embalagens Flexíveis, S.A., cuja produção é dedicada sobretudo às embalagens para a indústria alimentar, na companhia do seu Administrador, José Rodrigues Barros, recém-entronizado Cavaleiro de Gutenberg. Os visitantes ficaram vivamente impressionados, quer com a qualidade dos meios e processos de produção, quer com as equipas de trabalho.