Pacheco Pereira distinguido com o Apigraf Prémio Prestígio

Pacheco Pereira distinguido com o Apigraf Prémio Prestígio

Na passada 6ª feira, 31 de janeiro, no Hotel Marriott, em Lisboa, a APIGRAF distinguiu José Pacheco Pereira com o APIGRAF Prémio Prestígio, um galardão atribuído de 2 em 2 anos a personalidades que, pelo seu percurso profissional e pessoal contribuem, direta ou indiretamente, para o prestígio e visibilidade da indústria gráfica e transformadora do papel em Portugal.

O APIGRAF Prémio Prestígio foi em 2020 atribuído a José Pacheco Pereira, em cuja riquíssima história de vida o entusiasmo por publicações saídas das mãos dos industriais portugueses do sector e a sua guarda e divulgação têm um lugar muito especial, que o projeto “Ephemera” coroa e testemunha.

Na cerimónia, o galardoado fez uma intervenção onde começou por recordar os tempos de juventude em que, de muito perto, conviveu com tipógrafos e tipografias. Apaixonado pelo suporte papel como forma de disseminação de cultura e saber, é o fundador e rosto da Associação Cultural Ephemera, que tem como objectivo divulgar os espólios, acervos, livros, periódicos, manuscritos, panfletos, fotos, objetos e ephemera que pertencem ao arquivo pessoal de José Pacheco Pereira, e colocá-los acessíveis a todos.  Como se pode ler no site, “pelos seus objectivos e pela sua acção, é o arquivo privado mais público de Portugal”.